Processo de criação em curso

Ainda esta semana li outro caso. Um dramaturgo espanhol foi parar ao teatro depois de ter passado pelo jornalismo, a sua paixão de sempre, e disse que não saiu do jornalismo, que no fundo foi o jornalismo que o expulsou. Tenho guardado casos destes, desde o taxista ao político, passando pela realizadora de documentários ou o polícia, e tantos professores, por que no fundo são casos parecidos com o meu e que resultaram, entre outras aventuras caseiras e paralelas, na escolha de uma profissão e de uma tentativa de prossecução com a paixão, que podia sintetizar como o contar histórias ou divulgar conhecimento (ou, modernamente, eventos).
Disso nasceu este blogue. Trabalho numa livraria e aqui escreverei sobre livros, e o mundo que anda à volta dos livros, desde o mercado aos autores, leitores, designers, curiosidades, história, etc.

Apesar de nos últimos meses tenha vindo a carregar materiais, conteúdos, ainda não decidi fazer a abertura “oficial” do blog.
Ela acontecerá, não sei bem quando.
Os próximos tempos, não sei dizer se dias se semanas, serão igualmente de colocação de conteúdos fora de tempo, mais como angariação de material de arquivo do que propriamente para actualização imediata de novidades, que também haverá. Certamente que não será a melhor forma de angariar visitantes, pelo menos neste momento, que ficarão meios perdidos entre o aparecimento de uma notícia de amanhã e uma outra de há um mês que considero importante ter no blogue, mas dar-lhe-á o corpo em que quero que se torne. Esbelto e até um bocadinho com sobrepeso.