Livros brasileiros do ano de 2017, segundo o Listas Literárias

O Listas Literárias fez as suas listas principais do ano, escolhendo os livros brasileiros de 2017
1 – Como Se Estivéssemos em Palimpsestos de Putas, de Elvira Vigna
2 – Sombras de Reis Barbudos, de José J. Veiga
3 – Circo, de Alckar Santos
4 – Jantar Secreto, de Raphael Montes
5 – A Mãe, a Filha e o Espírito da Santa, de P. J. Pereira
6 – A Morte Tem Final Feliz, de Márcio Paschoal
7 – O Cambista do Cais do Porto, de J. C. de Toledo Hungaro
8 – O Ascendente, de Ceres Marcon
9 – Capão Pecado, de Ferréz
10 – O Exilado Político Vegetariano, de Alexandre Kostolias

E as “melhores leituras” internacionais

Morreu Sue Grafton

A escritora norte-americana Sue Grafton, conhecida pela série de livros dos “crimes do alfabeto”, com a detetive Kinsey Millhone, morreu aos 77 anos, vítima de cancro. Nascida em 1940, Grafton ficou famosa pela série em que o título de cada livro começava com uma letra diferente. Terminou com o ‘Y is for Yesterday‘.

“Many of you also know that she was adamant that her books would never be turned into movies or TV shows, and in that same vein, she would never allow a ghost writer to write in her name,” her daughter wrote. “Because of all of those things, and out of the deep abiding love and respect for our dear sweet Sue, as far as we in the family are concerned, the alphabet now ends at Y.”
O viúvo afirmou à Associated Press que ela andava em busca de uma ideia para última letra do alfabeto, o Z era um dos motivos que a ajudava a combater o raro e normalmente fatal câncro do apendice. “Nada foi escrito”, afirmou, “there is no Z”, “nobody in this family will ever use the letter Z again”, cita a agência que esta frase foi dita em tom de riso.

Livros nacionais e internacionais do crítico Eduardo Pitta

O crítico Eduardo Pitta escolheu os livros do ano para a revista Sábado, nacionais e internacionais. Cristina Carvalho com “Rebeldia”, Bruno Vieira Amaral de “Hoje Estarás Comigo no Paraíso”, a biografia de Nelson Rodrigues de Ruy Castro, os textos da New Yorker de George Steiner, os três de Javier Marías em “O Teu Rosto Amanhã”, além do novo de Saunders e o antigo O Escritor Fantasma, de Roth. A ler no blog Da Literatura.

Livros do ano do jornal Observador

O jornal online Obseervador publicou uma listas com os livros do ano escolhidos por alguns dos seus colaboradores como Bruno Vieira Amaral, Carlos Maria Bobone, João Pedro Vala, Nuno Costa Santos, Joana Emídio Marques, Jorge Almeida, José Carlos Fernandes, Miguel Freitas da Costa, Rita Cipriano e Vasco Rosa.

Link aqui

Paris retira manuscrito de 120 Dias de Sodoma de leilão e do Manifesto Surrealista e declara-os Tesouro Nacional

Um propalado leilão de peças da criação intelectual e memorabilia — que incluía o manuscrito de  120 Dias de Sodoma, equações de Schrödinger, o Segundo Manifesto Surrealista, poemas de Rimbaud e um relato sobre o afundamento do Titanic, entre outros — teve mais um percalço com a declaração de Tesouro Nacional do manuscrito do Marquês de Sade, de quando estava detido na Bastilha, e do Manifesto Surrealista, de Breton.

Os 33 rolos de 1785 de Sade, bem como uma grande colecção de outros objectos, escritos, cartas e pautas, incluindo também o Manifesto, de Breton, estavam num lote de documentos históricos pertencentes ao fundo de investimentos Aristophil, na sequência de uma história de crescimento e queda do fundo, investigado por fraude financeiro. A empresa foi à falência em 2015, deixando enormes perdas aos seus financiadores, e Gerard Lheritier foi detido por fraude.  Desde 1990 que a Aristophil recolhia e obras de arte e tesouros literários e angariou fundos de 18 mil investidores até ao seu encerramento.

Continuar a ler “Paris retira manuscrito de 120 Dias de Sodoma de leilão e do Manifesto Surrealista e declara-os Tesouro Nacional”

Mais cartas de Natal de Tolkien

As cartas de Natal de J.R.R. Tolkien para os seus filhos vão estar em exposição em Oxford a partir de Junho, conta a Reuters, juntamente com outros materiais do escritor, um artista criador de mundos.  As mensagens que os miúdos receberam durante 23 anos, com selo do Pólo Norte, não são ainda todas conhecidas do grande público, sendo esta particularidade que está a atrair os fãs para a nova exposição.

Continuar a ler “Mais cartas de Natal de Tolkien”