A mais absurda das religiões, de Nuno Costa Santos na TSF

A mais absurda das religiões, de Nuno Costa Santos na TSF

“Já não há o culto da pastelaria”, diz Nuno Costa Santos, cronista de absurdos e de realidades, pequenas e grandes, em conversa com Fernando Alves, na Manhã da TSF.

A pastelaria “entre posto de observação e lugar de culto” deste observador nato, um “catador de absurdos, um perito em desconcertos”, como o descreve Fernando Alves. Talvez por isso as pastelarias sejam o lugar de eleição do autor para praticar “a mais absurda das religiões” – o acto de escrever. “Tem um lado que identifico muito com a cidade, com o bate-papo, com o balcão, com o mil-folhas, e aqui faço já uma ligação com a literatura”, revela Nuno Costa Santos.

Conversa de Nuno Costa Santos com Fernando Alves aqui.

Filinto M