A arquitetura moderna do Porto em livro

A arquitetura moderna do Porto em livro

1942 pode ser definido como o ano do aparecimento do Movimento Moderno na arquitetura portuense, com a Casa Joaquim Malheiro Pereira, projeto de Alfredo Viana de Lima, que foi o primeiro em Portugal a revelar influência direta de Le Corbusier. Ele é o ponto de partida para o mais recente livro sobre a arquitetura da cidade do Porto: “Guia de Arquitetura do Porto 1942-2017”.

Editado pela A+A Books, faz um levantamento de fundo e exaustivo desde aquela época até aos dias de hoje, não só na capital do distrito mas também em Matosinhos, Maia, Vila Nova de Gaia e Gondomar. O guia, escreve a agência Lusa, citando a apresentação da obra, “entende assim ‘a cidade como o espraiamento mais denso a partir do seu centro histórico’, alargando-se à grande área urbana, através de 13 zonas bem definidas, ‘procurando simultaneamente agrupar os exemplos escolhidos’ em zonas de ‘coerência arquitetónica/urbanística’ ou com uma identidade própria, reconhecível, tendo em conta eixos históricos de desenvolvimento.

Depois do Movimento Moderno, o guia centra-se nos modificações trazidas com 0 25 de Abril, nomeadamente a ação do Serviço Ambulatório de Apoio Local, SAAL, e daí até meados 1990, antes de entrar no século XXI. Aqui destacam-se as obras da Metro do Porto, da requalificação da Baixa no âmbito da Porto 2001. E continua com os projetos em andamento: Programa de Qualificação Urbana da Circunvalação, o Mercado do Bolhão, o Matadouro de Campanhã, a Estação Intermodal de Campanhã e os Percursos Pedonais (ligações Palácio de Cristal, Miragaia, Virtudes).

O Hotel D. Henrique, o Silo-Auto, a Escola Secundária Soares dos Reis, a reabilitação de uma ilha de Campanhã, a sede portuense da União Elétrica Portuguesa, a ponte de S. João, a reabilitação do Palácio do Freixo, as faculdades de Engenharia e Economia, o complexo habitacional Quinta das Sedas, o Terminal de Cruzeiros de Leixões, as reabilitações do Rivoli e da Casa das Artes, a Casa da Arquitetura, a Casa de Chá da Boa Nova, a Estação de Tratamento de Águas do Lever, a Capela de São José e o edifício Garagem Ouro são algumas das obras presentes no guia.

A apresentação será esta quinta-feira.

Filinto M