Público: Sócrates exigiu ultrapassar vendas de José Rodrigues dos Santos

“O ex-primeiro-ministro José Sócrates deu três dias ao grupo Babel para pôr no top dos livros mais vendidos a sua tese de mestrado sobre a tortura em democracia”, escreve o Público. “O Ministério Público defende que uma parte do dinheiro que José Sócrates recebeu a título de subornos do Grupo Lena serviu para comprar exemplares do A Confiança no Mundo: Sobre a Tortura em Democracia em quantidades industriais, através dos amigos, para ficar conhecido como autor de sucesso. O próprio nega-o.”

O jornal escreve que foi o fundador do grupo Babel, Paulo Teixeira Pinto, “quem decidiu apostar no resultado dos estudos de Sócrates em Paris. Dois anos mais tarde, quando foi inquirido pelas autoridades, o então director comercial da editora ainda não se tinha esquecido das particularidades que tinham rodeado o lançamento e a venda do livro. Tanto José Araújo como uma colega sua da Babel relataram os insistentes telefonemas do autor para saber se já tinha ultrapassado José Rodrigues dos Santos nas vendas, e o seu desapontamento ao saber que isso não sucedera”, noticia.

Ler mais

Euronews: Leilão de desenhos de Tintin

Leilão em Paris vai ter à venda vários desenhos e esboços originais de Tintin, da autoria de Hergé. “Mas não é um leilão para qualquer bolsa. As peças, raríssimas, atingem as centenas de milhares de euros.”, diz a Euronews.

“Um desenho a cores, a tinta-da-china e aguarela, para a capa de “O cetro de Ottokar”, pode chegar aos 800 mil euros: “Este nunca esteve no mercado. Foi oferecido, em 1939, à pessoa que ainda o tem. É a história de uma vida, esta pessoa viveu toda a vida com este desenho, era criança quando encontrou Hergé, que lhe ofereceu o desenho como presente”, explica o perito Eric Leroy.

Outras peças raras e valiosas à venda são os esboços para “As joias de Castafiore”, tal como os originais das duas primeiras tiras de “A estrela misteriosa”, avaliadas entre 300 mil e 400 mil euros. O leilão vai ter lugar na Artcurial, em Paris, no dia 18 de novembro.

No último ano, esta é a terceira vez que desenhos de Hergé vão a leilão. Antes foi Abril passado e em Novembro do ano passado.

Prémios Jabuti começaram a ser conhecidos, Romance para Silviano Santiago

Silviano Santiago

Silviano Santiago, escritor e professor de literatura, foi o vencedor do Prémio Jabuti de Romance com uma ficção sobre os últimos anos de Machado de Assis (falecido em 1908). Com este anúncio, citado da Folha de S. Paulo, o autor de 81 anos concorrerá ao Jabuti  Livro do Ano de Ficção que será anunciado a 30 de novembro.

Os vencedores das 29 categorias do Jabuti foram divulgados na tarde desta terça (31) pela Câmara Brasileira do Livro.

“Neste ano, foram introduzidas duas novas categorias; uma dedicada a livros brasileiros traduzidos no exterior –na qual “A Cup of Rage”, versão britânica de “Um Copo de Cólera”, de Raduan Nassar, saiu vencedora– e outra, aos quadrinhos. “Castanha do Pará”, HQ independente de Gidalti Oliveira Moura Júnior, foi a ganhadora”, refere o jornal.

Todos os vencedores abaixo

Ler mais

O Crime no Expresso do Oriente tem nova versão cinematográfica

Kenneth Branagh é o realizador da nova versão cinematográfica de “O Crime no Expresso do Oriente“, baseado no clássico de Agatha Christie. O actor e diretor inglês desempenha o papel de Hercule Poirot à frente de um elenco que inclui Penélope Cruz como Greta Ohlsson, Willem Dafoe como Gerhard Hardman, Judi Dench como Princesa Dragomiroff, Johnny Depp como Ratchett e Michelle Pfeiffer como Mrs. Hubbard.

O filme estreia em Portugal no dia 9 de Novembro.

 

 

Emigração portuguesa em França em novela gráfica

O autor francês Robin Walter lançou esta semana o livro “Maria e Salazar”. A novela gráfica é inspirada na vida de uma emigrante portuguesa que chegou a Paris em 1972 e resume a história de milhares de portugueses em França. A personagem Maria é baseada na sua “segunda mamã”, uma “amiga da família”, que trabalhou como empregada doméstica na casa dos seus pais durante mais de 30 anos.

“Baseei-me no percurso de Maria, que é uma amiga da família e foi durante 30 anos a empregada doméstica dos meus pais e que eu e os meus irmãos consideramos como uma segunda mamã. Quando quis falar sobre este tema, pedi-lhe a ela e ao seu marido para me contarem as suas histórias”, disse Robin Walter à Lusa.

(continuar a ler no site da Euronews)

Lançamento global do novo Astérix

“Astérix e a Transitálica” é o novo álbum da coleção do gaulês, o 37.º, o terceiro dos autores sucessores de Goscinny e Uderzo (que se mantém como editor), de seu nome Didier Conrad e Jean-Yves Ferri, depois de “Astérix entre os Pictos” (2013) e “O papiro de César” (2015).
Astérix e Obélix rumam à bota, à Península Itálica, depois de “Astérix Gladiador” (1964) e de “Os Louros de César” (1972), para uma corrida de quadrigas organizada por Júlio César para dar a conhecer ao mundo a grandeza das vias romanas, e do seu império.
Nestes dias, num lançamento global, sairão para as bancas cinco milhões de livros — 5.000.000 — em 16 línguas e em 25 países. Por cá, haverá a edição portuguesa, mirandesa e francesa.
Todas a informação sobre o novo livros, os autores, a história e o regresso da coleção pode ser descoberto no site exclusivo asterix37.com.

Reportagem ficcionada no FOLIO 2016

[reportagem ficcional realizada no FOLIO 2016, chamada “Onda de Famosos no Festival Literário de Óbidos” publicada na TKNT]

[O FOLIO começou hoje]

Quitério vibrou quando recebeu uma nova mensagem, tinha configurado o sinal no iphone para ser alertado das que chegavam da revista onde trabalhava, a Nova Gente. Abriu logo – devia ser o trabalho da semana, ou alguma emergência. Era o trabalho da semana. “Qr q faças ist, dps briefo”, era a mensagem simplificada com um link para o Folio. Quitério estranhou, um festival literário?

Que interesse podia ter um festival literário para a Nova Gente? Os trabalhos que lhe davam implicavam tantas vezes conversar com epifenómenos mediáticos construídos pelos reality shows que raramente conseguiam conjugar um verbo simples e que alteravam livremente sujeitos, predicados, adjetivos, figuras de estilo… E agora queriam um festival literário? Esperaria pelo briefing.

Ler mais