Euronews: Leilão de desenhos de Tintin

Leilão em Paris vai ter à venda vários desenhos e esboços originais de Tintin, da autoria de Hergé. “Mas não é um leilão para qualquer bolsa. As peças, raríssimas, atingem as centenas de milhares de euros.”, diz a Euronews.

“Um desenho a cores, a tinta-da-china e aguarela, para a capa de “O cetro de Ottokar”, pode chegar aos 800 mil euros: “Este nunca esteve no mercado. Foi oferecido, em 1939, à pessoa que ainda o tem. É a história de uma vida, esta pessoa viveu toda a vida com este desenho, era criança quando encontrou Hergé, que lhe ofereceu o desenho como presente”, explica o perito Eric Leroy.

Outras peças raras e valiosas à venda são os esboços para “As joias de Castafiore”, tal como os originais das duas primeiras tiras de “A estrela misteriosa”, avaliadas entre 300 mil e 400 mil euros. O leilão vai ter lugar na Artcurial, em Paris, no dia 18 de novembro.

No último ano, esta é a terceira vez que desenhos de Hergé vão a leilão. Antes foi Abril passado e em Novembro do ano passado.

Emigração portuguesa em França em novela gráfica

O autor francês Robin Walter lançou esta semana o livro “Maria e Salazar”. A novela gráfica é inspirada na vida de uma emigrante portuguesa que chegou a Paris em 1972 e resume a história de milhares de portugueses em França. A personagem Maria é baseada na sua “segunda mamã”, uma “amiga da família”, que trabalhou como empregada doméstica na casa dos seus pais durante mais de 30 anos.

“Baseei-me no percurso de Maria, que é uma amiga da família e foi durante 30 anos a empregada doméstica dos meus pais e que eu e os meus irmãos consideramos como uma segunda mamã. Quando quis falar sobre este tema, pedi-lhe a ela e ao seu marido para me contarem as suas histórias”, disse Robin Walter à Lusa.

(continuar a ler no site da Euronews)

Lançamento global do novo Astérix

“Astérix e a Transitálica” é o novo álbum da coleção do gaulês, o 37.º, o terceiro dos autores sucessores de Goscinny e Uderzo (que se mantém como editor), de seu nome Didier Conrad e Jean-Yves Ferri, depois de “Astérix entre os Pictos” (2013) e “O papiro de César” (2015).
Astérix e Obélix rumam à bota, à Península Itálica, depois de “Astérix Gladiador” (1964) e de “Os Louros de César” (1972), para uma corrida de quadrigas organizada por Júlio César para dar a conhecer ao mundo a grandeza das vias romanas, e do seu império.
Nestes dias, num lançamento global, sairão para as bancas cinco milhões de livros — 5.000.000 — em 16 línguas e em 25 países. Por cá, haverá a edição portuguesa, mirandesa e francesa.
Todas a informação sobre o novo livros, os autores, a história e o regresso da coleção pode ser descoberto no site exclusivo asterix37.com.